DIARIO DE BORDO DO PLANETA TERRA - pgalvas@yahoo.com

Tuesday, October 26, 2004

Comentário ao Post do Joaquim
Olá Joaquim Delgado, tás bom? Agora passas-te a chamar Joaquim Delgado, está bem? É para não destoar o discurso, do sujeito.
Pois eu de facto não sei o que é que tem sido melhor neste último mandato do Bush, se a maneira como geriu o conflito da palestina; se a forma completamente original como estão a fazer guerra no Iraque, que era no ano passado, como todos sabem, a maior ameaça à paz e estabilidade mundial; se o descontrolo do défice do estado que está a níveis nunca vistos; se a situação dos prisioneiros de Guantanamo ou Abhu Grahib; se o conhecimento desmesurado que este senhor tem do que é viver no planeta terra nos dias que correm ( o mundo não é só aquele país ). É a obssessão pelos atentados que persegue os presidentes dos E.U.A, que faz com que o terrorismo seja cada vez mais sofisticado, frequente e mortífero. O combate ao terrorismo que aquele macaco apregoa, não tem tido qualquer tipo de resultados (ao contrário do que possas pensar) porque os terroristas estão sempre um passo à frente e de há uns anos para cá, tudo o que o Bush disse em relação a este assunto, irá virar-se contra ele mais tarde ou mais cedo e consequentemente para os americanos, que têm de levar com isso por culpa de um presidente arrogante. Ou melhor, parte dos americanos, porque a outra parte demonstra exactamente que tipo de país é aquele: um país de cócós e de xixis que não vai hesitar em pôr uma cruz no Bush, elegendo-o. Algures em 15 ou 20 países em todo o mundo, também há muita gente a pôr cruzes no Bush, mas é na testa, nos seus quartos e nos bares, para fazerem tiro ao alvo.

Friday, October 22, 2004

EU SEI QUE COMEÇA A SER DEMAIS
a quantidade de textos onde se acentua a minha costela (pode ser de novilho) de esquerda, mas a verdade é que este governo não está a ajudar em nada. Esta última semana tem sido particularmente recheada de miminhos de um grupo de pessoas que poderia perfeitamente fazer parte do elenco do próximo filme do James Bond "Jamais governarás".
A saber:
a) corre um despacho do Ministério da Educação, na Direcção Regional do Centro, onde se decreta que os professores que fazem parte dos conselhos directivos das escolas, não poderão fazer greve. Ora, como todos sabemos, o último nome da Ministra da Educação é "Salazar".
b) O Presidente da Associação Nacional de Municípios, Fernando Ruas, autarca do PSD, está indignado com o Ministério da Cultura, porque, a partir de agora, qualquer autarquia que queira abrir um Museu, terá de se sujeitar ao sim ou não do Ministério que tutela a pasta. Se a Ministra acordar bem disposta, pode ser. Senão, não é. Como todos sabem, o nome completo da ministra da cultura é Maria João Bustorff de Oliveira Salazar.
c) Vamos começar a fazer aquilo que muitos países começam a abolir: Energia Nuclear. Como todos sabemos, é a mais perigosa - ninguém me convence de que será totalmente ecológica - para além da ideia quase inacreditável de voltar a pegar na barragem de Foz Côa. Mas isso não interessa para nada. O que interessa é que o governo PSD conseguiu fazer com que a barragem que resolveria os problemas energéticos e de abastecimento de água do Algarve, parasse as suas obras por falta de verba, 90 milhões de euros. Como todos sabem, o nome deste Governo, é "XVI Governo Constitucional de Oliveira Salazar".
d) Os estudantes de Coimbra, tal como os do resto do país, têm direito a protestar. Sempre o fizeram. Quase todos os anos. Sempre invadiram a reitoria. Quando quiseram.
Com a fixação da propina máxima, o Reitor veio lançar a indignação junto dos alunos que recorrem à Constituição para apregoar que o ensino deverá ser tendencionalmente gratuito, coisa que não está a acontecer, muito pelo contrário. Também é legítimo perguntar o que é que é que andam lá a fazer uma série de macacos que estão a tirar o curso há 15 anos, estoirando recursos e ocupando vagas de outros que, estarão muito provavelmente, mais interessados em estudar. Isso também é incompetência administrativa. É um assunto de fácil resolução.
Também se pode perguntar porque é que não têm dinheiro para pagar as propinas, quando andam todas as noites nas festas académicas a virar girafas e a beber shots. A verdade é que também têm direito a isso. Os que quiserem ou puderem, porque muitos outros não têm 20 contos por mês para pagar as propinas, porque já não tinham dinheiro para pagar os livros e a casa alugada e as viagens para visitarem a família.
e) O Nuno Morais Sarmento e o Rui Gomes da Silva continuam a fazer declarações sobre os meios de comunicação que lembram o mais inábil dos símios.
f) Experimentem dar uma olhadela ao Portal do Governo. Parece um folhetim de propaganda da Wonderland, em que tudo está bem. E está. Para eles.
g) Podia ficar aqui até 2005, a falar destes temas, mas não pode ser. Ainda aparece por aí o Papão Félix e depois só me resta juntar-me ao meio milhão de desempregados.

Tuesday, October 19, 2004

MOgAIS SAgMENTO
acha que a televisão do Estado deve teg "mais contgolo do govegno". Boa Nuno! É pogque assim, não cogges o gisco de te mandagem calag de cada vez que decidiges abgig a boca. Aliás, só a abges paga o que te integessa. Nos Açoges, este fim-de -semana, quando te pedigam paga comentag a mais pesada deggota de sempge do PSD naquele agquipélago, pagecia que tinhas comido a língua, ou o que sobga dela.
Eu também sou assim. Só digo o que me integessa. Por isso, apetece-me dizeg que não gosto de ti nem um bocadinho, mas, se te segve de consolo, não és o único dessa vasta lista, composta quase na totalidade pog elementos do teu govegno. Obgigada e até bgeve.

Monday, October 11, 2004

ÀS PRIMEIRAS HORAS DA MANHÃ,
era grande a consternação na redacção da TVI. O computador tinha feito das suas e o Professor não estava colocado.
A primeira a reagir foi a Ana Sofia Vinhas que tinha estado a tarde toda na cozinha da estação, a preparar o presente do Prof- Pastelinhos de batata com coentros, enrolados em folhas de papel vegetal, com poemas escritos pelos alunos da Crinabel, que se desenrolavam e liam, à medida que iam sendo comidos. Foi um desgosto muito grande.
O José Carlos Castro também se manifestou: " ...vejam lá se não podiam esperar mais uma semana!"
Na forja, estava meia dúzia de ovos do quintal de Celorico, caseiros e amarelinhos, como havia sido prometido há 15 dias. Em troca, tinha comprado FOFOS de Belas, uma dúzia, para entregar antes das notas finais.
O mais inconsolável, foi o Júlio Magalhães. De mãos a latejar e com falhas de madeira espetadas entre as unhas, tinha estado a semana toda a fazer uma escultura em cerejeira, da mulher e da filha, em cima de um dragão em filigrana, para ser entregue a meio das notas iniciais. Tinha como certo um tapete de Arraiolos, com dois metros de diâmetro, feito pelo próprio Professor, nas tardes boçais da casa de Celorico, enquanto ouvia os relatos do Sp. Braga.
Confrontados com estas notícias, também Miguel Sousa Tavares e António Peres Metelo ameaçam sair da estação, porque, segundo eles, a única coisa que levam para casa ao fim do mês, é um cheque.